domingo, 26 de dezembro de 2010

Já lá vão alguns meses...

Bom Natal, bom Natal, bom Natal!


Passaram alguns meses deste a última vezes que aqui estive.
Felizmente, nada de mal me aconteceu. Apenas a falta de disposição para escrever.
Quase todos os dias me lembrei que este espaço merecia a minha atenção mas... muitas mudanças estavam a acontecer e ... o tempo não chegava para tudo!

Pois é!
Antes de mais, a minha casa nova! Aquela de onde se podem ver os ninhos das cegonhas, a montanha e a Ria, a cidade lá ao longe e aqui tão pertinho, os meus amores ...

O primeiro Natal no lar que construímos, devagar mas todos os dias!
Por isso, hoje, quando já todos serenaram depois da euforia dos presentes, dos doces, do calor do nosso cantinho ... vim até ao meu cantinho!

E vim, desejar-vos UM BOM NATAL, SEMPRE!



A todos aqueles que passarem por cá, a todos os que já conhecem este espaço, aos que virão conhecer-me!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Fogo


Hoje o ar está irrespirável!

O fogo, aqui bem perto, vai alastrando e o verde desaparece, progressivamente.

Ontem, uma nuvem castanha pairava por toda a região, encobrindo o sol. Entretanto, a fuligem foi descendo e o fumo no meio das casas parecia imitar o nevoeiro.

O calor, abafado e pouco saudável, convida-nos a ficar por casa. Mesmo aí o cheiro a queimado não nos deixa esquecer que há quem tema pelos seus bens e quem arrisque a vida para os proteger!

Afinal, porque não conseguiremos prevenir para não ter que remediar?

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Férias ... na Holanda!

Este texto foi-me apresentado pelo Nelson, do "Grito de Mudança". Achei-o fantástico e importante e, por isso, decidi divulgar!


"Frequentemente sou solicitada a descrever a experiência de dar à luz uma criança com deficiência - uma tentativa de ajudar pessoas que não têm com quem compartilhar essa experiência única, a entendê-la e imaginar como é vivenciá-la.
Seria como ...

Ter um bebé é como planear uma fabulosa viagem de férias - para a Itália! Você compra montes de guias, faz planos maravilhosos. O Coliseu. O David de Michelangelo. As gôndolas de Veneza. Você pode aprender algumas frases simples em italiano. É tudo muito excitante.

Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia. Você arruma as suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterra. O comissário de bordo chega e diz: - "Bem vindo à HOLANDA !"
"HOLANDA!?! " diz você - "O que quer dizer com Holanda?? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda minha vida eu sonhei em conhecer a Itália".

Mas houve uma mudança no plano de vôo. Eles aterraram na Holanda e é lá que você deve ficar.

A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente. Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes. É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas, após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor... e começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrandts e Van Goghs.
Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália... e estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda a sua vida você dirá : "Sim, lá era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu tinha planeado." E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora... porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.

Porém... se você passar a sua vida toda remoendo o fato de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais... sobre a Holanda."

Emily Perl Knisley

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Chegar e partir!



O som daqueles passos,
A certeza de os reconhecer,
O desejo incontido!

O sorriso tranquilo
Disfarça a intranquilidade que se instalou dentro do peito.

Afinal, sabia que vinhas!

...E que partirias, de novo!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Porque tenho saudades!


Monumento ao Baleeiro, S. Roque do Pico

"Pico é a mais bela, a mais extraordinária ilha dos Açores, duma beleza que só a ele lhe pertence, duma cor admirável e com um estranho poder de atracção. É mais do que uma ilha - é uma estátua erguida até ao céu e amolgada pelo fogo - é outro Adamastor como o do cabo das Tormentas. "

( Raúl Brandão, As ilhas desconhecidas.)

sábado, 19 de junho de 2010

Há Homens que não morrem!

"Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter,
ter deve ser a pior maneira de gostar."
José Saramago

Por isso, gostaremos de ti, sempre!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Porque me apetece...

video

Oh minha mãe quem me dera...
Mª do Amparo e Lúcia Moniz

É bom voltar a ouvir quem assim tão bem canta!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Confissão

Esperei...

Esperei que percebesses a dor no olhar,
Os gestos contidos, as palavras que ficam engasgadas.

Senti saudade...

Da lua, da sombra, do reflexo na água...
Do cheio a maresia.

Achei que vinhas ...

O caminho era curto,
O calor espreitava, as memórias eram recentes.

Mas...
Nada é o que devia ser!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Onde anda a Primavera?

 
Maio
O sol fugiu, escondeu-se do outro lado do Planeta!

Este tempo tristonho, sombrio, húmido baralha a Natureza.

É tempo de sol, de vida, de paixão
O calor faz-nos falta!
As cegonhas já têm, nos ninhos, os filhotes que exigem que os pais lhes tragam o conforto de uma refeição a horas. Também eles reclamam pelo calor que teima em não vir!

A mim, faz-me cada vez mais falta!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A Joana

Hoje conheci a Joana.
Engenheira civil, vinte e poucos anos, madrinha do pequeno Miguel, o sobrinho, filho do irmão mais velho.
O pai está reformado. A mãe trabalha durante a manhã, almoça a correr, quando tem tempo e "voa" para Coimbra para poder prestar à Joana o apoio de que precisa.
Deitada ao meu lado, quando as 14:30 h se aproximam, a Joana faz-me sinal para que lhe diga as horas, e diz "Mãe, a Mãe"
Aos poucos fui percebendo o essencial da história.
A Joana teve um acidente, fez uma factura cervical que a atirou para o limiar da vida.
Vários meses em coma mas a Mãe ali esteve. Sempre!
Justiça seja feita, toda a família, tanto quanto percebi, esteve sempre ao lado da Joana.
É impressionante observar o evoluir desta menina!
Da Joana que, naquele dia fatídico se deixou arrastar para uma ribanceira, separa-a, apenas, alguns quilos, uma melhor coordenação motora, o reflexo da deglutição e pouco mais.
Quem a vir percebe que não demorará muito mais!
Os amigos estão por cá todos os dias ( e são muitos) o Miguel está em várias fotos que a madrinha vê, atentamente, todos os dias, a família apoia, o pessoal médico e de enfermagem não a largam e a Mãe continua a "voar" todos os dias, às 14:30 h (mais coisa menos coisa...) para ver a sua menina evoluir todos os dias.
Boa sorte Joana!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Vazio


Espero-te. Não vens, eu sei!
Vais dando notícias, cada vez mais raramente, com mais pressa.

Isto vai-me passar, não  vai?
Esta vontade de querer saber sempre de ti, de pensar em ti, de querer saber o que fazes, como estás!

Como se faz para passar?
O que se põe nesse lugar vazio?

O tempo! Pois o tempo!
Faz-me lembrar outras perdas! É o tempo, dizem!
Como se o tempo pudesse tirar as dores, ocupar os espaços, tirar as memórias que não queremos perder!

E é igual. Sempre igual!
Devagar, muito devagar, começamos a ver a distância a aumentar, como se as pessoas começassem a caminhar, devagar, sempre a caminhar, devagar .... e nós ficamos imóveis, a vê-los ir, sem nos pudermos mexer, querendo correr, impedi-los de se afastarem, mas algo (alguém, alguma coisa) nos (os) impede de encurtar o afastamento!

Como se faz para passar?

sábado, 3 de abril de 2010

Um passo, uma flor!

Hoje é dia de colocar uma flor!
No jantar que preparámos para os filhos (os meus e os que os meus escolheram!), recordámos as coisas boas que nos ensinaste a fazer!
Foi engraçado percebermos que nos lembramos dos pormenores, das expressões ternurentas que usavas para qualificares cada um de nós (a "doninha" era a mais pequena, a tua pequenita!). Lembrámos, também, as histórias que contavas e rimos (rimos, mesmo!) das partidas que pregavas quando querias "arreliar" a avó!

Pois, à mesa, alguém que nunca te conheceu, riu connosco, ouviu os mais novos falar de ti e, à noite, quando todos rumaram aos seus destinos, comentou: Era um Homem extraordinário! E vocês amam-no muito!

Deixo-te uma flor! Mais uma!

sábado, 13 de março de 2010

Irena Sendler morreu! Sabem que era?

Com permissão da autora decidi divulgar uma notícia que me parece imprescindível!


A Memória Colectiva não se pode apagar. E são exemplos destes, de coragem, resistência, solidariedade e CIDADANIA que temos obrigação de fazer passar aos nossos filhos par que eles os possam, também, contar aos seus!


Aqui vai: http://porque-ha-dias-assim.blogspot.com/2010/03/irena-sendler-morreusabes-quem-era.html

sexta-feira, 5 de março de 2010

Memórias



O sol hoje trouxe a magia das memórias!
Tenho saudades!

Do sol vermelho, das corridas de papagaios de papel, dos amigos cúmplices que ajudavam a esconder o cigarro proibido, ...enfim! Tenho saudades!

Tenho saudades das tardes junto ao rio, dos passeios a pé com o pretexto de observarmos as aves dos mangais!

Tenho saudades da lua, grande, que víamos a brilhar por cima da canízia que cobria a laguna e alojava os ninhos das graças vermelhas!

Tenho saudades.
Da vida, de ti, de mim, do que ainda farei!

terça-feira, 2 de março de 2010

...

Nem sempre conseguimos escapar às rasteiras que a vida nos prega! Por vezes, tropeçamos, caímos e as nódoas negras com que ficamos, acabam por nos obrigar a parar.

Depois, devagarinho, vamos tentando recuperar.

Claro que as dores não passam logo. Pois não. Mas é preciso acreditar que passarão!

Quero acreditar. Por isso, escolhi depositar uma flor por cada passo que conseguir avançar, por cada etapa que vencer, por cada vez que consiga pensar em ti com alegria!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Deixaste-me

Deixaste-me afagar-te a testa
Sentir as rugas que foste ganhando

Deixaste-me beijar-te o rosto
Sentir o teu sorriso terno

Deixaste-me velar o teu sono
Sentir as tuas dores

Deixaste-me ...

...resta-me ...

Sentir a saudade que cresce, cresce, cresce.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Amor

 (Este texto, escrevi-o em 14 de Setembro de 2007)

Hoje lembrei-me muito de ti!
Somos tão egoístas quando crescemos!
Alguma coisa na vida me fez perder a capacidade de demonstrar alguns sentimentos e emoções de que, no entanto, me orgulho.

Lembro-me de quando me ias acordar para vermos, juntos, o nascer o sol!
Lembras-te? Ouvíamos os pássaros a cantar e tu chamavas-me a atenção para alguns que levavam no bico os ramitos para fazerem os ninhos!

E aquelas férias em que fomos, só nós, de comboio?

Em todos os momentos difíceis estiveste comigo. Normalmente, calado. Nunca precisámos de muitas palavras.

Sabes, sempre tive tanto orgulho em te acompanhar.
Continuo a ter. Mesmo quando já não sabes quem sou ou quando me repetes frases sem sentido.



Mas eu sei que não querias que fosse assim.
E isso é o que mais dói.
Não poder preservar a imagem forte, dinâmica e protectora que construíste nas nossas vidas.
Mas é assim que te lembrarei, prometo.

domingo, 3 de janeiro de 2010

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ao Novo Ano


Traz-nos a paz
Devolve-nos a alegria
Deixa-nos ser felizes!

Que a justiça se faça
Que o pão se reparta
Que o amor nos conforte!

A Humanidade precisa do teu "empurrão"!
Permite que a Esperança não se desvaneça!