sábado, 17 de dezembro de 2011

Homenagem

 
Estarás Sempre por Perto!


             

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O outro 11 de Setembro- em 1973


Deste 11 de Setembro ninguém fala! Mas é bom não esquecer!



HOMENAGEM AO POVO DO CHILE

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Nas suas almas abertas
traziam o sol da esperança
e nas duas mãos desertas
uma pátria ainda criança.

Gritavam Neruda Allende
davam vivas ao Partido
que é a chama que se acende
no povo jamais vencido.
- o povo nunca se rende
mesmo quando morre unido.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Alguns traziam no rosto
um rictus de fogo e dor
fogo vivo fogo posto
pelas mãos do opressor.
Outros traziam os olhos
rasos de silêncio e água
maré-viva de quem passa
uma vida à beira-mágoa.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Mas não termina em si próprio
quem morre de pé. Vencido
é aquele que tentar
separar o povo unido.
Por isso os que ontem caíram
levantam de novo a voz.
Mortos são os que traíram
e vivos ficamos nós.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que nasceram para o Chile
morrendo de corpo inteiro.


José Carlos Ary dos Santos

domingo, 7 de agosto de 2011

Música para as férias!

As Férias começaram e o tempo permite já parar e ouvir as palavras que nos fazem pairar!

E ditas e tocadas por este Senhor tornam-se mágicas!

Eu gosto muito!
A

terça-feira, 2 de agosto de 2011

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A praga



Naquele dia apareceu um anjo que lhe disse:
- Estás condenada! Nunca poderás olhar a terra que cultivarás sem o peso da maldicência que pairará à tua volta!

E foi! Talvez tenha voado pois os anjos têm asas. A verdade é que nunca mais o viu!

Quando a terra, rasgada e semeada com tanto suor, começou a deixar sair os pequenitos rebentos a maldição realizou-se!

Sempre que olhava uma planta, a voz entoava em toda a aldeia até que ninguém, mesmo ninguém, conseguisse olhar o que quer que desabrochasse da terra! Cada vez que tentava colher o que a terra dava, toda a aldeia enlouquecia!

E assim será!

domingo, 1 de maio de 2011

As Portas que Abril abriu!

Mesmo que tenha passado
às vezes por mãos estranhas
o poder que ali foi dado
saiu das nossas entranhas.

E se esse poder um dia
o quiser roubar alguém
não fica na burguesia
volta à barriga da mãe.
Volta à barriga da terra
que em boa hora o pariu
agora ninguém mais cerra
as portas que Abril abriu.

Ary dos Santos



sexta-feira, 18 de março de 2011

Homenagem ao sol!



Bendito fim de semana!

Se tudo correr bem, o brilhozinho deste sol continuará a aquecer-nos.

A malfadada "crise" continuará a pairar por tudo quanto é televisão e jornal, as caras conhecidas, sempre dispostas a "sofrer na cruz" por nós, lá estarão, os grandes comerciantes continuarão a sua guerra e nós continuaremos a fazer contas, a inventar caminhos de poupança e a abençoar o sol que ainda nos aquece!

Bem, um dia isto tem que mudar!

Ficamos à espera do "D. Sebastião" ou fazemos com que mude?

Eu não gosto de esperar.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Esta depressão que me anima




(...)
uma prosa enferrujada
inconveniente e desajeitada
não encontro vestido que me sirva
já não sirvo para nada

vivo do que me dão
nunca falto às aulas de esgrima
e todos os dias agradeço a deus
esta depressão que me anima

A Naifa

sábado, 26 de fevereiro de 2011

FAUSTO - delicadamente p'ra ti



(...)
Por tudo aquilo que eu vi, delicadamente pra ti
Dedico esta canção de amor com cheirinhos a mil flores

E se acaso restam compassos muitos beijos e abraços.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Queria saber ler...



Queria saber ler o teu silêncio.

Queria saber ouvir o que não dizes.

O que gritas nesse olhar apático que não consigo ouvir?
Diz-me, diz-me, agarra a minha mão e conta-me.

Contas de várias cores que passam pelas palavras que usas e que contam o que não importa,
Aumentam o silêncio desse olhar que sei que chora por não saber falar!

Queria tanto saber ler!

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Decidir...

O mais difícil.

... mas irreversível!

E um novo dia, aí está!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

...E a luz entrou!




... o ritmo, o calor, o toque.

mão-ante-mão,
a memória

dos canais, dos lírios, das cegonhas

o coachar das rãs, a chama da fogueira

tal como sempre!

todos os dias
só quando se pode
apenas quando acontece


... tal como sempre, a luz volta e ilumina-lhe o rosto!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Uma flor para ti!




Está frio, muito frio.

No entanto, aqui onde estou, o brilho quente do sol entra pela vidraça e vai aquecendo o ambiente e a alma!

E sabe bem.
Tenho pena que não tenhas podido conhecer este cantinho solarengo que acabei por conseguir construir.

Recordo-te com saudade mas com a tranquilidade que me ensinaste a ter.
Por isso, deixo-te mais uma flor.
Obrigada

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

É preciso não esquecer!



(...)
Em nome do que passámos
não deixaremos passar
o patrão que ultrapassámos
e que nos quer trespassar.
E por onde a gente passa
nós passamos a palavra:
Cada rua cada praça
é o chão que o povo lavra.
Passaremos adiante
com passo firme e seguro.
O passado é já bastante
vamos passar ao futuro.

Ary dos Santos

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Velhos?????

video

Preconceitos .... onde menos se espera!

sábado, 8 de janeiro de 2011