sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O outro 11 de Setembro- em 1973


Deste 11 de Setembro ninguém fala! Mas é bom não esquecer!



HOMENAGEM AO POVO DO CHILE

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Nas suas almas abertas
traziam o sol da esperança
e nas duas mãos desertas
uma pátria ainda criança.

Gritavam Neruda Allende
davam vivas ao Partido
que é a chama que se acende
no povo jamais vencido.
- o povo nunca se rende
mesmo quando morre unido.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Alguns traziam no rosto
um rictus de fogo e dor
fogo vivo fogo posto
pelas mãos do opressor.
Outros traziam os olhos
rasos de silêncio e água
maré-viva de quem passa
uma vida à beira-mágoa.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Mas não termina em si próprio
quem morre de pé. Vencido
é aquele que tentar
separar o povo unido.
Por isso os que ontem caíram
levantam de novo a voz.
Mortos são os que traíram
e vivos ficamos nós.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que nasceram para o Chile
morrendo de corpo inteiro.


José Carlos Ary dos Santos

5 comentários:

Maria disse...

Eu vi por aí vários bloggers a falar sobre este 11 de Setembro. E com este mesmo poema, entre outros textos...
:)))

Oliva verde disse...

É natural, Maria!
Ary dos Santos é (sê-lo-á sempre!) um dos nossos maiores poetas!
E quem melhor do que ele nos recorda que uma ditadura pode sempre "bater-nos à porta" e, por vezes, tal como no Chile, da forma mais violenta!
Por isso, escolhi este poema!
É bom não esquecer, nunca!

elvira carvalho disse...

Um excelente poema de um poeta Maior, que alguns teimam em silenciar.
Para que nunca esqueçamos.
Um abraço e bom fim de semana

JPD disse...

Há efemérides que vão enfraquecendo.
O quotidiano das pessoas estámuito marcado pelos ritmos que os media vão desencadeando.
A fase romântica da experiência chilena de Allende vai muito longe.
Houve uma altura que na >Rua Capelo, do edifício da Radio renascença sói se ouvia música popular chilena ou da América Latina até terem feito explodir a antena de emissão.

O poema de Ary dos Santos é extraordinário.
Bjs

gaivota disse...

mesmo atrazada, é sempre bom chegaqr aqui e reler e relembrar o poema e o povo chileno!
beijinhos