quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A noite


O frio da noite desapareceu, encoberto pela capa longa que evitou a chuva miudinha que, entretanto tinha aparecido.
A música crescia na rua.
E na rua, cada gesto, cada poro, cada som trazia a intensidade crescente, repetida e brilhante do fogo de artifício que se tinha contido e que o calor fez explodir!
No dia seguinte, apenas a memória e um resto de cor do carnaval, ficou para marcar o momento!
Hoje, a marcha já não tem brilho. Falta-lhe o calor!

2 comentários:

Vinicius Dourado disse...

Belas palavras, curti!

elvira carvalho disse...

Julguei que tinha comentado este post.
_♥♥_♥♥
_♥♥___♥♥
_♥♥___♥♥_________♥♥♥♥
_♥♥___♥♥_______♥♥___♥♥♥♥
_♥♥__♥♥_______♥___♥♥___♥♥
__♥♥__♥______♥__♥♥__♥♥♥__♥♥
___♥♥__♥____♥__♥♥_____♥♥__♥_____
____♥♥_♥♥__♥♥_♥♥________♥♥
____♥♥___♥♥__♥♥
___♥___________♥
__♥_____________♥
_♥____♥_____♥____♥
_♥____/___@_____♥
_♥______/♥__/___♥
___♥_____W_____♥
_____♥♥_____♥♥
_______♥♥♥♥♥

Passei para desejar uma Santa e feliz Páscoa. Que o espirito da Páscoa perdure em toda a humanidade, para que se construa um mundo mais justo.
Abraço