segunda-feira, 14 de abril de 2008

Histórias de encantar

Acordou cedo, com a sensação de que os dias, agora mais curtos, mereciam ser vividos com maior intensidade.
Começou por realizar, rapidamente, as tarefas de rotina que tinha a seu cargo. Disporia, depois, de algum tempo para poder dedicar aos pequenos projectos que há muito tinha em mente.

Rever velhos amigos, escondidos naquelas caixas de papelão que mantinha no sotão, era hoje o grande objectivo.

Já lhe custava subir as escadas mas encontrou uma preciosa ajuda no neto que, entretanto, tinha chegado da escola. Juntos transportaram as duas caixas para junto da janela onde a esperava a cadeira de baloiço, o gato, a mesinha com os óculos e o xaile de que já não podia prescindir. O neto brincava a pouca distância mas sempre atento ao que ela ia tirando das caixas."Papéis velhos! Passas a vida a mexer em papéis velhos, avó!"

Sorriu. Eram mesmo velhos! Tão velhos que os tinha que desdobrar com muito cuidado para conseguir que não se rasgassem. Muitas vezes tinha querido desfazer-se de tanta velharia. No entanto, cada vez lhe custava mais seleccionar o que não queria. Cada um daqueles papéis lhe trazia à memória um pedacinho de Vida.
Olhou o neto, com ternura, e respondeu: "Pois é! Mas estes papéis velhos contam-me tantas histórias!"

"Então, porque não fazes um livro? O meu pai podia contar-me essas histórias à noite, quando vou para a cama! Ele diz sempre que não sabe nenhuma!"
"Vou pensar nisso. Mas logo à noite, quando o pai te for deitar, pede-lhe que te conte a história da Princesa que vivia no castelo de areia! Vais ver que essa ele sabe!"
"Sabe? Tens a certeza? Ele nunca me falou dessa história! Porque não ma contas tu, avó?"
"Porque essa é a história que só os pais e as mães podem contar aos seus filhos. Eu já a contei ao teu pai.
Agora é a vez dele ta contar."

O pequeno calou-se. Iria esperar que o pai chegasse para lhe recordar que também ele tinha gostado que todas as noites a mãe lhe contasse uma história!

E aquela era especial porque, todos os dias, o mar levava a Princesa e o seu Castelo para lugares estranhos, longínquos, sempre diferentes, onde era preciso inventar um Príncipe que pudesse trazer de volta a Princesa e o seu Castelo!

Bem, o resto dos papéis velhos ficariam para o dia seguinte!
Afinal, hoje foi capaz de reviver, com intensidade, todos os Príncipes que foi inventando, ao longo de tantas noites, e que fizeram adormecer o seu pequeno Rei!
Seria ele capaz de reinventar aquelas histórias e de embalar com elas aquele pequenito?

Por certo, acrescentaria alguns adornos. Quem sabe se o mar não os levava para outra dimensão de onde só sairiam se fossem capazes de inventar um GPS especial, que recolhesse dados dos satélites de outra galáxia e os conectasse com o seu Mac onde já tinham instalado aquele programa extraordinário que os libertaria das amarras virtuais e os faria vencer as barreiras do tempo!


Nessa altura, já o menino dormiria profundamente! Mas o pai continuaria a sonhar!

8 comentários:

Olá!! disse...

Encantada fiquei eu... :)))))
Um beijo grande e obrigada

multiolhares disse...

Os sonhos as histórias deviam fazer parte da nossa vida, para não deixarmos a criança que vive em nós adormecer
beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
sublime encanto
em prosa sentida
da escola da vida
a palavra o seu manto,
,
conchinhas,
,
*

AURORA ( LOLA ) disse...

É há histórias que nos são contadas em criança que nós nunca esquecemos.






bjs

gaivota disse...

a vida tem que conter sonhos e histórias de encantar para que se viva na inocência e no misticismo de criança!
muito bonito!
beijinhos

Andréa Motta disse...

Boa noite! Vim conhecer seu blog e convidá-la a participar da blogagem coletiva COISAS DO BRASIL, em 16 de maio. A idéia é cada um escrever, em seu blog, sobre aquilo que represente a cidade brasileira onde mora ou nasceu, a fim de que, juntos, mostremos a riqueza cultural do nosso país. Estou convidando a todos, até mesmo os brasileiros que residem no exterior; o importante é mostrarmos que o Brasil é um misto de culturas e saberes. Conto com a sua adesão!

© efeneto disse...

Eu preciso de um poema alegre
Emoldurando uma semana triste
É necessária uma cor no cinza
Desta inútil dor que persiste.

Eu preciso de música vibrante
Melodia, um canto que espante
Atingindo em cheio com cantos
Todos meus obscuros recantos

Eu preciso dum pulsar da vida
De novo alento, ares do vento
Sentir no sangue em movimento
Vontade de outra vez renascer

Eu preciso de um poema alegre
Palavras que tragam o encanto
Pois para quem já viveu tanto
Tudo o que resta é continuar.

Resta continuar a desejar um fim-de-semana cheio de amizade.

Suave Toque disse...

"Durante toda nossa vida, pessoas passam por nós,
Dia após dia,
Más somente algumas dessas pessoas ficam para sempre em nossa memória.
Essas pessoas são ditas amigas...
E as levamos para sempre em nossos corações,
As vezes pelo simples fato de terem cruzado nosso caminho,
As vezes pelo simples fato de nos terem dito uma palavra de conforto, quando precisamos,
As vezes por terem nos dado um minuto de atenção,
Nos ouvindo falar de nossas angústias, medos, vitórias, derrotas...
As vezes por terem confiado e nos terem contado também seus problemas,
Angústias, medos, vitórias e derrotas...
Isso é ser amigo, ouvir, confiar, amar,
E amigos de verdade ficam para sempre,
Longe, perto...
Assim como as pegadas na alma."

Um grande beijo e um feliz final de semana.

Elcia Belluci