sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Deixaste-me

Deixaste-me afagar-te a testa
Sentir as rugas que foste ganhando

Deixaste-me beijar-te o rosto
Sentir o teu sorriso terno

Deixaste-me velar o teu sono
Sentir as tuas dores

Deixaste-me ...

...resta-me ...

Sentir a saudade que cresce, cresce, cresce.

6 comentários:

Maria disse...

Sei o que sentes...
... e abraço-te.

Rosa dos Ventos disse...

Abraço solidário!

Há.dias.assim disse...

As saudades...

JPD disse...

Os afectos e a privacidade preservados...

Muito bem.

Saudações

gaivota disse...

a saudade é, talvez, o sentimento mais comlicado de gerir...
e a derradeira partida é sempre tão dolorosa...
beijinhos

fj disse...

aé uma saudade...q tanto se sente....
bjinhos