domingo, 1 de maio de 2011

As Portas que Abril abriu!

Mesmo que tenha passado
às vezes por mãos estranhas
o poder que ali foi dado
saiu das nossas entranhas.

E se esse poder um dia
o quiser roubar alguém
não fica na burguesia
volta à barriga da mãe.
Volta à barriga da terra
que em boa hora o pariu
agora ninguém mais cerra
as portas que Abril abriu.

Ary dos Santos



1 comentário:

elvira carvalho disse...

Será? Há um por aí um tal de Sócrates que parece empenhado em fechá-las